28 de abr de 2016

ARTIGO ESPECIAL
EM PREPARAÇÃO A SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE CRISTÃ



Semana de Oração pela Unidade Cristã: o Papa Francisco e os pentecostais[1]


André Luís da Rosa;
andreldarosa@hotmail.com

  Caminhamos para o findar do tempo pascal com a festa de Pentecostes.  Portanto, também caminhamos para a celebração da Semana de Oração pela Unidade Cristã (SOUC). Esta semana possui o claro objetivo de fomentar maior diálogo e unidade entre as Igrejas cristãs, sendo, no Brasil, promovida pelo CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs). Porém, não me aterei em explicá-la, mas aproveitarei do espírito desta semana para, observando a realidade brasileira, enfatizar que seu grande desafio ecumênico trata-se de uma aproximação entre católicos e pentecostais, pois este é, ao mesmo tempo, o maior país católico e pentecostal do mundo.

Todo brasileiro, religioso ou não, sabe, ao menos de modo geral, que católicos e pentecostais são grandes rivais no Brasil. A disputa entre estes dois grupos já se tornou clássica: a internet está recheada de vídeos, imagens, blogs, sites de caráter apologético; os púlpitos acolhem muitas pregações sobre seitas e heresias, prevenindo os fiéis dos “inimigos”, onde a interpretação bíblica é aplicada contra as outras Igrejas (como se a Bíblia já tivesse sido escrita tendo em mente estas denominações e formas eclesiásticas); as famílias estão fartas de testemunhos traumáticos de conversões, geradores de conflitos; as comunidades eclesiásticas estão marcadas por mágoas, geralmente: as católicas pela perda de seus fiéis e as pentecostais pela perseguição recebida em suas origens.

Todavia, quem anuncia que é possível estabelecer um diálogo entre católicos e pentecostais no Brasil? A abertura ecumênica que a teologia católica pós-conciliar tanto tem enfatizado não diz respeito também às Igrejas pentecostais? Que abertura é esta? Como resposta, apresento o testemunho do papa Francisco, que nos leva a acreditar que uma nova página pode ser iniciada no Brasil, pois ele é um “apóstolo do diálogo e da unidade” de nosso tempo, o promotor da “cultura do encontro”, que também inclui em sua agenda os pentecostais.

Como cardeal, Bergoglio era orientador de uma plataforma de diálogo católico-pentecostal na Argentina, a CRECES (Comunión Renovada de Evangélicos y Católicos em el Espíritu Santo), e participava de muitos cultos em Igrejas pentecostais. Como papa, em janeiro de 2014, Francisco gravou uma vídeo mensagem para o encontro de pastores e líderes pentecostais do Texas, Estados Unidos, presidido por Kenneth Coperland, na qual afirmou que o Senhor concluirá a obra da unidade entre os cristãos, e que o milagre da unidade foi iniciado e o Senhor irá concluí-lo.[1] Também, no dia 28 de julho do mesmo ano, Francisco foi o primeiro papa a visitar uma Igreja pentecostal, a Igreja Pentecostal da Reconciliação, do pastor Giovanni Traettino, em Nápoles, na Itália. Nesta ocasião pediu para os cristãos unirem-se na diversidade: “o Espírito Santo cria diversidade na Igreja. A diversidade é bela, mas o próprio Espírito Santo também cria unidade, para que a Igreja esteja unida na diversidade”.[2]  No dia 07 de maio de 2015, cerca de 100 pastores pentecostais de diversas regiões do mundo reuniram-se no Vaticano com o papa Francisco, onde, historicamente, ele afirmou: “entre as pessoas que perseguiram os pentecostais também houve católicos [...]. Eu sou o pastor dos católicos e peço perdão por aqueles irmãos e irmãs católicos que não compreenderam e foram tentados pelo diabo”.[3]

Um gesto concreto pela unidade cristã

 A exemplo do testemunho do papa Francisco, podemos acreditar que é possível um novo modo de a Igreja católica relacionar-se com as Igrejas pentecostais. Por isso, proponho aos irmãos católicos dois gestos concretos para a Semana de Oração pela Unidade Cristã que, se concretizados, favorecerão muito o diálogo entre católicos e pentecostais:

1°- Que nós católicos, baseando-nos no Diretório para a aplicação dos princípios e normas sobre o ecumenismo, evitemos nos referir às Igrejas pentecostais como ‘seitas’ pois este termo, em nossa linguagem comum, assume uma conotação pejorativa.[4] Para sabermos: no Brasil, as principais seitas são os adventistas, os  mórmons e  as testemunhas de Jeová. Já as Igrejas pentecostais possuem os ‘Elementos da Igreja’, conforme as orientações do Concílio Vaticano II, no Decreto Unitatis Redintegratio.[5]

2°- Mesmo que a Igreja católica diga reconhecer a diversidade religiosa e respeitar a liberdade religiosa como inerente à condição humana,[6] muitos católicos, mesmo membros da hierarquia, parecem não perceber no pentecostalismo um movimento religioso positivo que se expande por seus próprios méritos e que possui direito à existência. Ao contrário, segundo o teólogo católico Volney José Berkenbrock, devemos reconhecer as Igrejas pentecostais como autênticos espaços de vivência da fé cristã, da experiência viva de Deus.

Para aprofundar o assunto

            Não podemos ser resistentes: a unidade cristã é um mandamento de Cristo e o ecumenismo uma decisão da Igreja Católica no Concílio Vaticano II. Para maior compreensão, devido à complexidade e polêmica do tema em questão, deixo como sugestão para um aprofundamento dois excelentes textos do padre Marcial Maçaneiro, membro da Comissão Internacional de Diálogo Católico-Pentecostal: 


Uma aproximação ao diálogo internacional católico-pentecostal:


O diálogo católico-pentecostal no Brasil: entre desafios e possibilidades:





[1] As principais ideias deste artigo são parte de uma pesquisa maior que realizei e será publicada na revista Caminhos de Diálogo: Revista Brasileira de Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso, no mês de Julho deste ano.

[2] FRANCISCO. Bispo evangélico grava mensagem com Papa Francisco. Disponível em: <http://papa .cancaonova.com/bispo-evangelico-grava-mensagem-com-papa-francisco/>. Acesso: 16 jan. 2016.

[3] FRANCISCO. O encontro do Papa com pastores pentecostais. Disponível em: <http://br.radiovatica na.va/news/2015/05/08/o_encontro_do_papa_com_pastores_pentecostais/1142696>. Acesso: 16 jan. 2016.

[4] FRANCISCO. Papa recebe pastores pentecostais no Vaticano. Disponível em: <https://noticias.gos pelprime.com.br/papa-pastores-pentecostais-vaticano/>. Acesso: 16 jan. 2016.

[5] CONSELHO PONTIFÍCIO PARA A PROMOÇÃO DA UNIDADE DOS CRISTÃOS. Diretório para a aplicação dos princípios e normas sobre o ecumenismo. 3. ed. São Paulo: Paulinas, 2005, p. 184.

[6] CONCÍLIO VATICANO II. Decreto Unitatis Redintegratio. 3. ed. São Paulo: Paulinas, 2005.

[7]Cf. BOCK, Carlos Gilberto. O ecumenismo eclesiástico em debate: uma análise a partir da proposta ecumênica do CONIC. São Leopoldo: Sinodal, 1998, p. 34.

26 de abr de 2016

#FOTO OFICIAL
#TEOLOGIA 2016
#SEMINÁRIO TEOLÓGICO 
#BOM PASTOR
#DIOCESE DE CRICIÚMA



DOM JACINTO REALIZA SUA VISITA CANÔNICA PASTORAL, AO SEMINÁRIO TEOLÓGICO BOM PASTOR



Entre os dias 25 e 26 de Abril o bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inácio Flach, visitou o Seminário Teológico Bom Pastor. 

Na oportunidade Dom Jacinto, celebrou a Eucaristia com os seminaristas e os amigos do seminário. Bem como conversou com os seminaristas individualmente e em grupos. 


















19 de abr de 2016

DONA ELI TEREZINHA, COLABORADORA DO SEMINÁRIO TEOLÓGICO, COMEMORA SEU ANIVERSÁRIO

O dia foi de grande alegria para a colaboradora Dona Eli Terezinha, que está de aniversário neste dia 20 de Abril.

A comunidade do Seminário Teológico Bom Pastor se alegra pela passagem de seu aniversário e roga a Deus, as benção sobre sua vida, família, estudos e vocação. PARABÉNS.




14 de abr de 2016

SANTA MISSA FACASC
DIOCESE DE CRICIÚMA



O reitor do Seminário Teológico Bom Pastor da Diocese de Criciúma, em Florianópolis, Padre Oscar Paulo Pietsch, presidiu a Santa Missa sob a responsabilidade da Diocese de Criciúma. 

Em Clima festiva de celebrar a Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Diocese de Criciúma, se une a toda a comunidade acadêmica, professores e funcionários da Faculdade Católica de Santa Catarina, bem como as Dioceses do nosso regional sul 4, para celebrar a melhor hora do dia, que é a Eucaristia.









TARDE DE FORMAÇÃO
A ORGANIZAÇÃO DA PASTORAL LITÚRGICA NA PARÓQUIA

Na tarde do dia 13 de Abril, os seminaristas da Diocese de Criciúma, que residem no Seminário Teológico Bom Pastor, em Florianópolis, tiveram uma tarde de formação sobre a organização da Pastoral Litúrgica na Paróquia.

A tarde de formação teve como assessor o Padre Maxssuél da Rosa Mendonça, Pároco da Paróquia São Miguel Arcanjo, da Vila Nova.

Padre Maxssuél, destacou a importância de bem celebrar para animar todo o povo de Deus em nossas comunidades, levando-os a celebrar o grande mistério de nossa fé, a Paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, celebrado em toda Santa Missa.

Na oportunidade, Padre Maxssuél, presidiu a Santa missa no Seminário Teológico Bom Pastor. 








10 de abr de 2016


PAPA LANÇOU A TÃO ESPERADO EXORTAÇÃO: AMORIS LAETITIA




Nesta sexta-feira, 08 de abril, Papa Francisco mostrou ao mundo, sua nova Exortação Apostólica que tem como título: “Amoris Laetitia” (AL) (Sobre o amor na família).

O documento é fruto das reflexões da Assembleia Ordinária do Sínodo sobre a Família, ocorrida em outubro de 2015. Em 2014, o Papa convocou um Sínodo Extraordinário sobre o mesmo tema.

A Exortação Apostólica Pós-Sinodal sobre a família estará disponível em seis línguas, entre as quais o português. O texto trará contribuições dos padres sinodais.

Apresentação
A Exortação Apostólica Amoris Laetitia será apresentada na Sala de Imprensa da Santa Sé, pelo secretário geral do Sínodo dos Bispos, Cardeal Lorenzo Baldisseri, e pelo Arcebispo de Viena (Áustria), Cardeal Christoph Schönborn.

Sobre a nova Exortação
O Papa recorre também a contributos de  diversas Conferências episcopais de todo mundo, como do Quénia, Austrália e Argentina, entre outros. E citações de personalidades de relevo, como Martin Luther King ou Erich Fromm. Ressalta em particular uma citação do filme “A festa de Babette”, que o Papa recorda para explicar o conceito de gratuidade.

Números que chamam atenção nesta publicação
A Exortação Apostólica chama atenção pela sua amplitude e articulação. Está dividida em nove capítulos e mais de 300 parágrafos, distribuídos em 272 páginas.

O Papa afirma de imediato e com clareza que é necessário sair da estéril contraposição entre a ânsia de mudança e a aplicação pura e simples de normas abstratas. “Os debates, que têm lugar nos meios de comunicação ou em publicações e mesmo entre ministros da Igreja, estendem-se desde o desejo desenfreado de mudar tudo sem suficiente reflexão ou fundamentação até à atitude que pretende resolver tudo através da aplicação de normas gerais ou deduzindo conclusões excessivas de algumas reflexões teológicas” (AL 2).

A família não é um ideal abstrato, mas uma tarefa “artesanal”, expressa  o Papa.

Alguns dos temas:
– “A realidade e os desafios das famílias” (“Somos chamados a formar as consciências, não a pretender substituí-las” AL 37);

– “O amor no matrimônio” (“Não é possível prometer que teremos os mesmos sentimentos durante a vida inteira; mas podemos ter um projeto comum estável, comprometer-nos a amar-nos e a viver unidos até que a morte nos separe, e viver sempre uma rica intimidade” AL 163);


– Casais em segunda união, divórcio, educação dos filhos, educação sexual, crises, angústias, feridas, o amor na expectativa da gravidez, distinguir o corpo, são alguns dos muitos temas abordados pelo Sumo Pontífice.

5 de abr de 2016

PALAVRA DO REITOR PARA O MÊS DE ABRIL DE 2016

PORQUE O PAPA PROCLAMOU O ANO DA MISERICÓRDIA?


Prezados internautas

Encontramos esta resposta na Bula da Proclamação do Jubileu da Extraordinário da Misericórdia - Misericordiae Vultus / O rosto da Misericórdia.

O Papa Francisco da as seguintes razões:
Neste tempo de mudanças a Igreja é chamada a oferecer com mais vigor os sinais da presença de Deus.

Para que a Igreja cumpra a missão recebida de Jesus: Ser sinal e instrumento da misericórdia do Pai a todos os homens e mulheres.

Para que se perceba "O calor do amor de Deus quando nos carrega em seus ombros e nos traz de volta a casa do Pai".

Para que nos tornemos testemunhas de misericórdia.

Para tratar as feridas.

Para não cansarmos de ir ao encontro daqueles que esperam os sinais da proximidade de Deus.

Caros irmãos e irmãs que a luz do ressuscitado e a nossa opção nos de forças para sermos um reflexo do rosto da misericórdia de Deus.

BOA PÁSCOA !!!!!!!!!!!!!

DEUS NOS ABENÇOE !!!!!!!!!!!!!!

Bom Pastor, Dai nos Padres Segundo o Vosso Coração

Padre Oscar Paulo Pietsch
Reitor do Seminário Teológico Bom Pastor
Florianópolis - SC
SEMINARISTA DAVI PAULO COELHO COMEMORA SEU ANIVERSÁRIO


O dia foi de grande alegria para o Seminarista Davi Paulo Coelho, que completa seus 27 anos de vida, neste dia 05.

Davi é natural do município de Sombrio, Paróquia São João Paulo II, e está cursando o primeiro ano do curso de Teologia, realiza seu estágio pastoral na Paróquia São Judas Tadeu - Ponte do Imaruí - Palhoça.

A comunidade do Seminário Teológico Bom Pastor se alegra pela passagem de seu aniversário e roga a Deus, as benção sobre sua vida, família, estudos e vocação. PARABÉNS.